Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

04/10/2017

Resenha - Kokoro ga Sakebitagatterunda. - Anime


Informações
Nome: Kokoro ga Sakebitagatterunda.
Tipo: Filme
Episódios: 1
Lançamento: 2015
Estúdio: A-1 Pictures
Gênero: Drama, Romance, Escolar
Duração: 1 hr. 59 min.
Classificação: +13


Sinopse: Naruse Jun é uma menina cujas palavras foram seladas. Ela, que um dia foi uma garotinha feliz e tagarela, dividiu a família por causa de algo que disse. Então, um ovo falante apareceu à sua frente e selou suas palavras para que jamais voltasse a ferir alguém com elas. Desde essa experiência traumática, Naruse Jun vive sua vida nas sombras, em silêncio e sem nunca chamar a atenção, até que um dia, ela é nomeada como um dos membros do "Comitê de Integração Comunitária", juntamente com Sakagami Takumi, um garoto misterioso e solitário; Nitou Natsuki, uma jovem bela e certinha; E Tasaki Daiki, o rebelde (e melhor) jogador de beisebol do colégio. E como se não bastasse, os membros do comitê têm que organizar um evento musical.


História

Essa é a história de uma jovem menina tagarela e é uma situação que muitas pessoas podem entender. Quando criança, aconteceu algo na vida de Naruse e depois disso ela nunca mais foi a mesma. Eu gostei muito do filme justamente por me identificar com toda a situação de "falar demais pode causar problemas". A história é sobre os conflitos internos da personagem, mas não fica apenas nisso, temos os conflitos dos outros personagens também! O desenvolvimento deles foi lindo de assistir e a parte "romântica" me surpreendeu positivamente! Gostei bastante da história e do rumo que ela seguiu, dos personagens e seus conflitos. Achei o filme ótimo!


Um belo dia, nosso lindo parceiro HACCHI FANSUB aparece no meu inbox me recomendando esse filme e dizendo que era a mesma vibe de Koe no Katachi, então obviamente eu sai correndo e fui ver (mas demorei muito para fazer a resenha, me perdoem)! Tem um mangá finalizado com 4 volumes, se vocês tiverem interesse. O anime é do diretor Tatsuyuki Nagai, que também fez Ano Hi Mita Hana no Namae wo Bokutachi wa Mada ShiranaiMushishi e Toradora. Se você gosta de coisas nesse estilo, dê uma chance e assista! Obrigada Raul pela recomendação!


Arte

A animação é impressionante, ainda mais que baixei em bluray pelo HACCHI. Os cenários são muito bonitos, mas o que mais me surpreendeu foi a protagonista e suas expressões faciais, pois como ela praticamente não falava com palavras "reais", suas expressões e linguagem corporal transmitiam muito bem o que ela estava tentando dizer. A qualidade da arte em geral estava muito boa!


Músicas

Gostei muito da trilha sonora e dos personagens cantando. Tem uma versão de "Somewhere Over The Rainbow" em japonês e a letra foi alterada para refletir o que a Naruse deseja dizer e para expressar seus sentimentos! As músicas combinam com as situações, aumentando a emoção e envolvimento com a história, também servem para auxiliar durante o silêncio da protagonista.

Encerramento:
"Ima, Hanashitai Dareka ga Iru" - Nogizaka46


Vale a pena ver?

Sim! É dramático e emocionante! Para mim, essa é uma história sobre desenvolver seus relacionamentos, sua comunicação e seus sentimentos. Tem algumas partes engraçadinhas, mas o foco é o drama e o crescimento dos personagens. E achei a parte do romance excelente! É um filme muito lindo e fofo! Algumas pessoas acharam Koe no Katachi melhor, outras gostaram mais desse aqui, mas eu curti muito os dois e recomendo eles. Acredito que a grande maioria das pessoas que gostam do blog e das coisas que recomendo aqui vão gostar desse filme! <3


21 comentários:

  1. Estou muito animado para ver esse filme! E Mônica, ele é recomdnedado ver com a Mãe? Pq a minha Mãe está meio que "entrando no mundo otaku" e eu queria ver um filme com ela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depende do gosto dela... Minha mãe eu sei que gostaria desse filme ^_^

      Excluir
    2. Bom, tem que ser um filme que prenda ela até o final. Pq ela é muito enjoada com isso, se ela não gostar do filme de cara, desiste kkk

      Excluir
    3. Fala para ela ver Tokyo Magnitude 8.0
      Ou Boku dake ga Inai Machi
      Talvez esses prendam ela hahahaha

      Excluir
  2. Ainda não tive a oportunidade de ver este filme. Mas já vi alguns amv's e quase fiquei com lágrimas nos olhos. Agora depois desta analise maravilhosa tenho mesmo que assistir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi mais uma "apresentação" do que uma "análise" xD
      Esse é o tipo de anime que você não pode saber muitos detalhes!
      Ser surpreendido é bem mais legal!

      Excluir
  3. Não conhecia esse filme mas pareceu-me muito interessante e já adicionei á minha lista!! Obrigada por o apresentar😁

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Eu acho que a direção desse filme falhou miseravelmente em vários momentos cruciais, isso fez a história todo bem fraca para mim. A cena que teoricamente serviria para traumatizar a Jun foi muito “fraca”, a cena não tem impacto nenhum, por isso durante todo o filme foi muito forçado ela não conseguir falar. É muito sem nexo a personagem falar algo e de repente sentir uma dor de barriga, chega a ser trash. É igualmente sem nexo ela conseguir cantar baseado na premissa estabelecida pelo próprio filme.

    O takumi é o personagem que mais gostei. Ele tem a história dele, mas ela já superou, como qualquer pessoa normal. Eu só achei meio bosta a relação dele com outros personagens. A relação dele com a Jun começa muito forçadamente. Ela vê ele cantando uma música com a palavra ovo na letra e deduz que ele estava espiando o coração dela. What? Isso é muito nada a ver. Também achei a relação dele com a Natsuki nada a ver, porque os dois se gostavam desde sempre, mas por um motivo bem ruim eles não se resolvem logo.

    A Jun é uma personagem com algumas atitudes bem contraditórias. Como já expliquei o anime falhou em me fazer acreditar que as duas frases proferidas pelo pai da Jun traumatizaram tanto ela, de qualquer forma, isso levou ela a subconscientemente se inibir para não machucar mais os outros. O problema é que de repente chega uma hora que ela ignora todo o esforço da turma dela e egoistamente quase destrói a apresentação, o que contradiz toda a filosofia de vida dela até ali.

    Ainda sobre a Jun, ela não é muda, mas não fala, então como ela viveu durante todos esses anos? Falar é uma coisa muito básica e essencial. Ela não aprendeu linguagem dos sinais ou outra forma para se comunicar, então ela sempre corria para o banheiro com dor no estomago quando precisava falar algo? Essa é a principal semelhança entre Koe no Katachi e esse filme, mas mesmo a diferença de aplicação e razão entre essa pequena peculiaridade nas protagonistas é colossal.

    O drama do Daiki é tão solto que eu nem saquei bem o que rolou. O cara machucado continuava indo apoiar o time dele, mas os caras por algum motivo achavam que ele estava atrapalhando. What?

    Eu já falei o que não gostei dos outros personagens principais, mas a Natsuki me irrita em outro nível. A personagem é um vazio, ela não tem personalidade nenhuma. Literalmente a única coisa que define a personagem é ela gostar do Takumi e absolutamente nada mais. Eu odeio esse tipo de boneco sem alma.

    A mãe da Jun aparece bem pouco, mas para mim ela não fez o menor sentido. Num momento ela está tratando a filha bem mal, como se considerasse frescura ela não falar, mas no outro já está fazendo o contrário. A filha dela sai correndo de casa, chorando, sem falar nada e ela não está nem aí. What?

    O character design do anime é o mais chato, esquecível e gênero possível no padrão A-1 Pictures. É inacreditável como todos os personagens do time de baseball tem o exato mesmo design. Tem uma cena que esse time chega numa lanchonete onde os protagonistas já estavam, essa cena supostamente deveria ser bem carrega emocionalmente, mas eu só conseguia rir dos quatro irmãos gêmeos do time de baseball. O Masayoshi Tanaka é um ótimo character designer, mas todos os animes deles com a A-1 tem a exata mesma aparência de todos os outros animes da A-1, como se o estúdio obrigasse ele a fazer algo com o mesmo estilo.

    A trilha sonora do anime usa muitos covers de músicas clássicas, como over the rainbow, isso é apelação, mas num sentido positivo. A animação é muito boa, mas tem alguns deslizes com a consistência, num filme que tem mais tempo de produção isso não deveria acontecer.

    Eu resolvi assistir esse filme por causa desse post e por ter achado a premissa legal. Ele tinha uma ideia interessante de mostrar como palavras podem ser cruéis, mas achei que falhou na tentativa. Acabei achando no máximo um filme mediano.

    Nota: 05/10

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não achei a história fraca. Me coloquei no lugar da personagem e me identifiquei com ela. Me envolvi no drama e me emocionei. Achei ótimo.

      Ela não fala porque ficou traumatizada. Simples assim. E dá para viver sem falar sim ué. A barriga dela dói por conta do trauma. É um problema psicológico, um transtorno que ela desenvolveu por conta de uma situação que a traumatizou.

      Para você pode ser besteira, mas é difícil julgar o trauma e os problemas dos outros. Cada pessoa sente e pensa de maneira diferente. A situação que aconteceu com ela, a afetou e a deixou traumatizada. O fato de não falar e ter dores não é besteira, são sintomas que a mente dela criou por conta do que aconteceu.

      Enfim, não entrei em muitos detalhes no post porque realmente achei melhor não ter nenhum tipo de spoiler e deixar as pessoas serem surpreendidas. Sinto muito que você não gostou, mas não concordo com muitas coisas que você diz.

      Espero que as outras pessoas assistam e gostem ^_^

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Tudo isso que você falou é exatamente o objetivo que eles tinham. O problema para mim é que a cena do trauma foi muito mal dirigida, basicamente a câmera pega o pai com uma visão de imponência e só.

      De fato, para ela as duas frases que o pai disse podem ter sido bem impactantes, mas, como um anime, é importante fazer o público sentir a cena tanto quanto a personagem, pois assim podemos entender o trauma dela. Para alguém ser traumatizado ao ponto de parar de falar e o cérebro desenvolver uma "punição" subconscientemente para caso ela fale tem que ser bem sério, coisa que a cena não conseguiu passar.

      Uma cena de trauma bem-feita é a que consegue mostrar bem o trauma do protagonista. Naruto, por exemplo, mostra muito bem o trauma de não conseguir fazer amigos quando criança por causa da Kurama. Eu me lembro até hoje claramente de uma cena com o Naruto pequeno e várias “sombras” ao redor dele com o olhar de desprezo, esse simbolismo deixa bem claro o qual solitário foi aquela fase.

      Espero que outras pessoas gostem também, afinal eu achei fraco, mas vai que funciona pra outra pessoa, né? Bom para ela.

      Excluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Como eu só conheci esse blog agora em 2017??? Apaixonei!

    ResponderExcluir
  9. Olá gostaria que visitasse o Anime e Café e deixasse sua opinião à respeito do blog! https://animeecafe.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Gostei do filme. Acho que ter deixado o trauma da protagonista não evidente é até bom pois quer dizer que ela não quer falar sobre isto, o que faz as pessoas terem maior dificuldade de entende-la.

    ResponderExcluir